Covid-19: conheça o monitoramento realizado pelo município com os pacientes

O isolamento domiciliar é uma das medidas prioritárias para conter a disseminação do coronavírus, pois é através dele que se pode reduzir a propagação da doença. Agir com esta medida o mais precocemente possível é essencial, uma vez que o paciente que apresenta sintomas é o maior disseminador do vírus. Os pacientes que apresentam Síndrome Gripal leve, sem sinal de agravamento ou presença de comorbidades, são tratados como suspeitos para COVID-19, devendo permanecer em isolamento domiciliar.

Este isolamento acontece por 14 dias após o início dos sintomas, se estendendo além da pessoa sintomática, mas também aos familiares residentes da mesma casa. Geralmente, este sintomático passa por atendimento médico no Centro de Triagem, onde poderá ser realizada a coleta do exame para COVID-19, e ali já recebe atestado para ele e seus contatos domiciliares, pois todos deverão todos cumprir o isolamento domiciliar.

Durante esse período de isolamento, até que se tenha o resultado do exame laboratorial, o paciente será monitorado por teleatendimento, através do contato telefônico deixado no dia da consulta presencial.

Após atendimento no Centro de Triagem, as fichas são direcionadas ao setor que realiza o monitoramento, o SAE (Serviço de Atendimento Especializado), em conjunto com a Vigilância Epidemiológica e com os ESFs da cidade. Durante estes contatos de monitoramento, se verifica o estado sintomatológico do paciente e se orienta sobre medidas de prevenção domiciliares para o sintomático e para os residentes da mesma casa.

Caso verifique agravamento do caso, o paciente passará por consulta médica via teleatendimento, para analisar os sintomas e manejar o caso da melhor maneira, buscando evitar que a pessoa sintomática precise sair de casa. Nas situações que necessitarem de avaliação presencial, os pacientes serão encaminhados ao Centro de Triagem da cidade. Visitas domiciliares também poderão acontecer, a depender do quadro apresentado, onde a equipe de saúde irá paramentada com EPI e tomando as medidas de prevenção de contágio.

Caso algum contato domiciliar apresente sintomas gripais nesse período de isolamento, deverão sinalizar ao serem monitorados. Estes deverão passar também por atendimento clínico.

Após ter resultado do exame para COVID-19, o paciente será notificado por telefone. Se negativo, ele será avaliado pela equipe de saúde e, se estiver assintomático, poderá encerrar o isolamento domiciliar. Caso o resultado laboratorial indique infecção pelo coronavírus, o paciente deverá completar os 14 dias de isolamento, e ao término, seus contatos domiciliares também serão testados para avaliar a presença de anticorpos.

Desde o início deste trabalho, já passaram pelo monitoramento mais de 800 pessoas com Síndrome Gripal. O retorno sobre este trabalho tem sido positivo, uma vez que permite um acompanhamento próximo ao paciente nessa situação de fragilidade, e tem colaborado para evitar a disseminação da COVID-19.

ORIENTAÇÕES DURANTE O ISOLAMENTO DOMICILIAR

O paciente que está em isolamento domiciliar não deve receber visitas, e se possível, permanecer em um quarto bem ventilado, isolado dos outros moradores da casa. Na impossibilidade desse cuidado, deve-se manter distância de um metro da pessoa sintomática e não compartilhar materiais de uso pessoal, como copos, pratos, toalhas de banho, etc. Deve-se evitar compartilhar a cama também, e fazer uso de máscara ao compartilhar um ambiente comum. Os moradores devem seguir com medidas de higiene das mãos com frequência e evitar contato com as secreções do paciente. O ideal é que seja realizada limpeza ao menos uma vez ao dia das superfícies comuns e banheiros, com solução com alvejante ou água sanitária.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print

Leia também:

Acesso Rápido

Turismo

Gabinete e Procuradoria

Secretarias

Setores

Cidadão

Empresa

Servidor

Guias e Formulários

Previdência Social - RPPS

Transparência

Skip to content