Fique atento aos sintomas da Dengue: alerta do Ministério da Saúde

Mais um ano em que a Dengue volta a assustar a população brasileira. Segundo o Ministério da Saúde, o país já registrou em 2019 quase 500 mil casos. Devido a situação, o Ministério divulga um alerta para prevenção da doença. Em Torres foi registrado apenas um caso, importado, de uma moradora da Praia Gaúcha que contraiu a doença em Canoas. Ela está bem, tendo já esgotado o período de contaminar outras pessoas. Nenhum caso autóctone, ou seja, contraído no município, foi registrado até o momento, assegura a Secretaria Municipal de Saúde.

Como já sabemos, a Dengue pode ser contraída a partir da picada do mosquito Aedes aegypti. O importante de se frisar é que, muitas vezes, os sintomas podem ser confundidos com os da gripe comum ou outra doença. Por isso, conforme o Ministério, devemos ficara atentos aos principais sintomas: febre alta, dor de cabeça, mialgia∕artralgia (que são fortes dores musculares e nas articulações), vermelhidão, coceiras na pele, diminuição da contagem dos glóbulos brancos e plaquetas e sobrecarga renal.

A combinação de mais de dois desses sintomas é o principal alerta para que a pessoa suspeite que pode ter contraído Dengue e que deve procurar atendimento médico, explica Lasier França, biólogo e diretor de Vigilância em Saúde. “É essencial que a pessoa busque atendimento médico caso sinta alguns desses sintomas.” Informa que a Dengue pode trazer problemas ainda mais sérios por conta de dois fatores: dependendo do tipo do vírus e se é o primeiro contato com o vírus ou não.

As primeiras infecções são geralmente, benignas e os sintomas são fracos, podendo até passar despercebidos. Contudo, uma infecção secundária pode causar complicações severas. Conhecida como Dengue Hemorrágica ou Síndrome do Choque da Dengue, ela pode provocar febre alta, fenômenos hemorrágicos, hepatomegalia (aumento do fígado) e insuficiência circulatória, podendo levar o paciente à morte.

EVITE A DENGUE

A principal forma de evitar que a Dengue chegue em Torres é com a prevenção da transmissão e reconhecimento dos sintomas inciais. Pode até parecer repetitivo, mas é importante remover os reservatórios com água limpa e parada. Tanto os larvicidas quanto os inseticidas distribuídos aos estados e municípios pelo Ministério da Saúde têm eficácia comprovada, sendo preconizados por um grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde.

Os larvicidas servem para matar as larvas do mosquito da Dengue. São aqueles produtos em pó, ou granulado, que o agente de combate as endemias coloca nos ralos, caixas d’água, enfim, nos lugares onde há água parada que não pode ser eliminada. Já os inseticidas são líquidos espalhados pelas máquinas de nebulização, que matam os insetos adultos enquanto estão voando, pela manhã e à tarde, porque o mosquito tem hábitos diurnos. O fumacê, como é chamado, não é aplicado indiscriminadamente, sendo utilizado somente quando existe a transmissão da Dengue em surtos ou epidemias. Desse modo, a nebulização pode ser considerada um recurso extremo, porque é utilizada em um momento de alta transmissão, quando as ações preventivas de combate à Dengue já não surtem mais efeitos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print

Leia também:

Acesso Rápido

Turismo

Gabinete e Procuradoria

Secretarias

Setores

Cidadão

Empresa

Servidor

Guias e Formulários

Previdência Social - RPPS

Transparência