Visite o Museu Histórico de Torres, atração para moradores e visitantes

Quem quiser conhecer mais sobre a cultura de nosso município, deve visitar o Museu Histórico de Torres. Localizado no antigo prédio da Prefeitura, na Avenida Júlio de Castilhos, 707, o local é um espaço privilegiado sobre a cultura da cidade. O espaço agrega grande importância e valor histórico para o povo torrense, está aberto todos os dias, mas em horários diferenciados. às segundas, quartas e sextas-feiras, das 8h às 11h30 e das 13h às 17h30 e às terças e quintas-feiras, das 13h às 17h30. Aos sábados, domingos e feriados fica aberto das 13h às 19h.

O Museu Histórico de Torres está ficando de cara nova. Desde que foi transferido do ex-Centro Municipal de Cultura para a ex-sede da Prefeitura foi remodelado e dividido por temáticas. No local situa-se a Secretaria de Turismo, responsável pelo MHT. Na entrada do prédio, o visitante já é recepcionado com material fotográfico em quadros, tratando do cotidiano da cidade do início e final do século XX. Conforme a servidora Maria do Carmo Conforti Rodrigues, da Diretoria da Cultura, o acesso dos visitantes ficou agora bem mais interessante pois além do acervo estar dividido por temas, ainda possibilita maior fluidez.

São muitos os planos da servidora para o Museu, que vão desde a campanha de doação por parte da comunidade com o propósito de aumentar o acervo e ainda a ideia de buscar patrocínio para fortalecer o Museu. Conforme Maria do Carmo, devemos pensar nos museus como elemento indispensável em roteiros turísticos. Diz que o objetivo é reconstruir a história do município, através do resgate, do registro, da preservação e da exposição de objetos de uso das famílias, viabilizando o desenvolvimento do turismo local. O espaço possui também o acervo histórico da administração pública.

Para o historiador Alexandre Cardoso Rodrigues, o Cebola, por tratar-se de um museu eclético, “o nosso possui uma gama muita densa de objetos com considerável valor referencial”. Contudo,dentre todos ele destaca a coleção de líticos. Ela nos foi doada em fevereiro de 2008 pelo veranista suíço-argentino Virgile Alexandre Chavannes. Este material arqueológico foi coletado por ele ao largo de cinco décadas, em solo torrense. Fala muito sobre o primeiro grupo humano a ocupar estas paragens, ou seja, o Homem do Sambaqui (o torrense original). Ele destaca igualmente a maquete do Baluarte Ipiranga, idealizada por Nelson Adams Filho e concebida por Aline Barrin, visto a abundância e a qualidade da produção histórica local.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print

Leia também:

Acesso Rápido

Turismo

Gabinete e Procuradoria

Secretarias

Setores

Cidadão

Empresa

Servidor

Guias e Formulários

Transparência