Estudantes da Rede Municipal de Torres vão aprender a montar um robô Rover Lunar, inspirado na missão espacial Artemis da Nasa

Entre 250 instituições educacionais no Brasil, para participar do projeto piloto “Robótica Espacial”, Torres foi contemplada com 50 vagas. A Secretaria Municipal de Educação fez adesão ao referido projeto. O mesmo será desenvolvido junto a EMF Alcino Pedro Rodrigues que conta com o suporte técnico para tirar dúvidas e auxílio aos alunos no ingresso do curso acompanhando os mesmos até a etapa final . Atualmente é a
escola com maior número de alunos da rede municipal.

Para o prefeito Carlos Souza, neste momento em férias, a Secretaria Municipal de Educação e os estudantes estão de parabéns por participarem de um projeto criado para preparar e despertar os jovens ao uso de novas tecnologias no desenvolvimento de suas aprendizagens. Este projeto tem também como objetivo, reduzir as desigualdades por meio da Educação Digital.

A iniciativa pedagógica partiu da Universidade de Brasília (UnB) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), com o apoio técnico da Agência Espacial Brasileira (AEB), e está sendo executada pela Be Byte, escola de programação e robótica para crianças. As inscrições tiveram início em abril, e a seleção ocorreu por meio da escola de programação.

Os estudantes vão vivenciar, de forma realista, por meio de simuladores, a criação e montagem do robô “Rover Vehicle ” – inspirado no projeto Artemis, liderado pela Nasa, do qual o Brasil faz parte por meio da Agência Espacial Brasileira. De acordo com a Be Byte, o projeto tem a finalidade de preparar as crianças e os jovens para as futuras mudanças tecnológicas. Cientistas e analistas chamam esse processo de a ‘Quarta revolução industrial’. As condições de trabalho, em todo o planeta, vão sofrer enormes mudanças. É preciso preparar as crianças e os jovens para este futuro, cada vez mais atual, diz a descrição do projeto.

O projeto é uma introdução de metodologia STEAM – Science, Tecnology, Engineering, Arts e Mathematics. A Metodologia STEAM busca integrar conhecimentos de Ciências, Tecnologia,Engenharia e Matemática para preparar os alunos ao enfrentamento de desafios futuros, como cidadão. As crianças e adolescentes são apresentados aos projetos em que fazem protótipos, constroem, solucionam problemas, interpretam suas criações e ocupam uma posição mais protagonista. Aprendendo sobre a importância de não desistir de suas atividades. O método incentiva através de cinco etapas: 1- Investigar, 2 – Descobrir, 3 – Conectar, 4 -Criar e 5 – Refletir. Tem como objetivo o desenvolvimento de habilidades. Vindo ao encontro das dez competências para a Educação Básica, que traz a Base Nacional Comum Curricular – BNCC.

No curso, as aulas são desenvolvidas em uma plataforma virtual: www.roboticaespacial.com.br. A professora é uma robô, que através da gamificação
(metodologia usada para motivar e facilitar o aprendizado, em situações reais, tornando o conteúdo mais acessível) comprometendo os estudantes na busca da autoaprendizagem para a resolução de problemas, promovendo um maior engajamento no processo de ensino-aprendizagem. Por meio desta ferramenta pedagógica, os alunos recebem conhecimento sobre robótica, desenvolvendo habilidades e competências da Educação Básica, ampliando seus conhecimentos para o uso de multímetros, ferramentas mecânicas, motores, microcontroladores, protoboards, leds, sistemas elétricos e módulos Bluetooth. Ao final do programa, os alunos deverão montar e apresentar o robô para demonstrarem o conhecimento absorvido. Os participantes concluintes receberão certificados pela Agência Espacial Brasileira

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print

Leia também:

Acesso Rápido

SERVIÇOS

Turismo

Gabinete e Procuradoria

Secretarias

Setores

Cidadão

Empresa

Servidor

Guias e Formulários

Previdência Social - RPPS

Transparência

Imprensa e Identidade visual

Skip to content