Pronto Atendimento 24h é pauta de debate em Torres

A prestação de serviço do Pronto Atendimento 24h de Torres foi pauta na Câmara de Vereadores na tarde desta quarta-feira, 12 de abril. O custo do atendimento foi a maior preocupação devido a Prefeitura de Torres ter investido mais de R$ um milhão e meio já este ano e quase 40% dos pacientes serem de fora do município. A necessidade de uma justa participação das Prefeituras da região nesta despesa foi o encaminhamento deste encontro que contou com a presença do prefeito Carlos Souza, do vice-prefeito Fábio Amoretti, da secretária municipal de Saúde, Adriani Webber Amoretti; da Procuradora Geral do Município, Pâmela Souza; do coordenador do PA 24h e do SAMU, Tales Correa Rodrigues; do delegado da 18ª Coordenadora Regional de Saúde, Cláudio Paranhos; da enfermeira especialista em Saúde, Charlene Pires, também da 18ª CRS, do presidente do Conselho Municipal, Francisco Pereira, e vários vereadores.

Que ninguém fica sem atendimento e que existe qualidade na prestação de serviço foi uma unanimidade na reunião. Diante deste quadro, as principais orientações dos representantes da 18ª CRS é de que a triagem deva ser melhor realizada e de que seja reforçado o atendimento na Atenção Básica. Muitos pacientes procuram o PA quando poderiam ser acolhidos nas unidades básicas de seus bairros. Números foram especificados pela Secretaria Municipal de Saúde, tanto com relação aos custos como os que envolviam a contagem dos pacientes atendidos. Quem vai pagar esta conta, uma vez que vários municípios utilizam o serviço será a pauta de uma próxima reunião. Alguns têm convênio com a Prefeitura de Torres para o atendimento, porém, o valor pago é irrisório.

A Prefeitura de Torres deve entrar em contato com o Ministério Público para somar-se ao grupo na busca de uma solução em conjunto para o impasse. Os gestores dos outros municípios também deverão ser convocados. Conforme o prefeito Carlos Souza, é necessário uma parceria para equacionar a questão. “Torres pode se tornar um polo de saúde”. Na oportunidade, anunciou que os primeiros profissionais a serem chamados no concurso público municipal serão justamente os da área de saúde: sete médicos, 12 agentes comunitários e 12 técnicos de enfermagem. A reunião desta quarta-feira foi uma proposição do vereador Gimis. Também estavam presentes a presidente da Câmara, Gisa Webber; e os vereadores Zete Silveira, Val Cabeleireiro, Jacques, Tubarão, Fábio Rosa, Marcos Klassen e Dê Goulart.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print

Leia também:

Acesso Rápido

Turismo

Gabinete e Procuradoria

Secretarias

Setores

Cidadão

Empresa

Servidor

Guias e Formulários

Previdência Social - RPPS

Transparência